2º ICLOC Jovem
» Leia mais

3º Seminário de Educação: Tendências sobre o ensino
» Leia mais

1° Debate ICLOC: "A Identidade do Ensino Médio e as propostas curriculares"
» Leia mais

Ações

3º ICLOC Jovem - 2017


Alunos de escolas públicas e particulares apresentam trabalhos em Congresso.

A 3ª edição do ICLOC Jovem aconteceu no dia 7 de outubro, na unidade do Instituto Singularidades e na Escola Estadual Fernão Dias Paes. Na oportunidade, foram apresentados aproximadamente 500 trabalhos de mais de 70 escolas públicas e privadas. O Congresso tem como objetivo compartilhar trabalhos que os alunos produzem nas escolas para outros alunos, sobre diversos temas.

O aluno Fábio Albuquerque da 3ª série do Ensino Médio apresentou o projeto “Futebol de base e escola: o impacto na vida dos atletas adolescentes” no primeiro horário. No trabalho foi estudado como muitos adolescentes brasileiros têm que escolher entre continuar com os estudos ou seguir a profissão de atleta, diferente dos Estados Unidos que favorece aos adolescentes a prática esportiva juntamente com os estudos. Fábio conta como surgiu a ideia de realizar esse trabalho: “Eu jogo basquete, então eu estava nessa dúvida de focar nos estudos ou no esporte. Eu, meu colega e meu orientador achamos que seria um tema legal, mas acabamos mudando para futebol porque é o esporte mais praticado no Brasil.”

O trabalho “Mapa identitário étnico-social dos adolescentes desaparecidos da cidade de São Paulo em 2016 e 2017” foi apresentado por alunas da 2ª série do Ensino Médio no segundo horário. A aluna Beatriz Bim conta sobre a importância de levar esse tema ao ICLOC Jovem: “O nosso tema fala sobre adolescentes desaparecidos que é um assunto que ninguém discute, no máximo nós vemos o papel que recebemos no pedágio e só. Então, trazer isso para o ICLOC é uma forma de mostrar que a questão existente e que nós precisamos discutir sobre isso, tentar mudar alguma coisa. Compartilhar essa informação talvez desperte a vontade de outros alunos a irem atrás desse assunto.”

A alimentação saudável também foi um tema no Congresso. A professora de Ciências, Mariana Moutinho, da escola Vila Verde, localizada na Praia Grande, conta sobre apresentar trabalhos no ICLOC Jovem: “Eu já participei do ICLOC dos professores, que aconteceu em maio. Quando eu fiquei sabendo que tinha a parte dos alunos, eu achei incrível eles poderem ter essa experiência também. O mais interessante do ICLOC é compartilhar as ideias e conhecer os projetos de outros alunos.”

Segundo Cláudia Laloni, do Instituto Singularidades, “A importância do congresso é escutar o jovem, o que ele quer aprender e o que ele está fazendo. Esses trabalhos realmente mostram que o jovem quer mudar o mundo. Eu acho muito importante a troca de informações de escolas públicas e privadas, que aprendem uns com os outros.”

O aluno Luan Lázaro, do 9º ano, conta o que achou da sua primeira participação no ICLOC Jovem: “Eu achei maravilhoso, porque o ICLOC reúne diversas áreas em um lugar só, como Matemática, Física e até Ciência Sociais, que é algo que normalmente as pessoas esquecem, e isso é algo único. Eu pretendo voltar com esse projeto nos próximos ICLOCs, ou até mesmo com outros projetos de outras áreas.”

Confira a seguir alguns depoimentos sobre o evento:

“É o primeiro contato que eu tenho com o ICLOC. É importante para eles se relacionarem, porque atrás disso teve todo um desenvolvimento. Todos eles tinham bastante conhecimento sobre o que estavam dizendo.” Jean Carlo Blanco – Pai de aluno.

“A nossa professora comentou sobre o evento e disse que quem quisesse participar era só se inscrever. Aí eu fui ver como funcionava e eu vi que era um evento grande e importante. Eu comecei essa pesquisa no meio do ano passado. Eu achei bem importante os assuntos que tivemos aqui, sempre olhando para a sociedade”. Beatriz Nadal – 3ª série do Ensino Médio.

“Eu fiquei sabendo porque a minha professora indicou. Eu já conhecia o ICLOC, no ano passado vários alunos da minha escola participaram e esse ano acabei sendo chamado. Era um tema livre. A maior dificuldade é você criar uma questão, analisar e aprofundar. É muito difícil chegar num tema que você consiga analisar profundamente. Eu achei legal, a gente conhece outras opiniões de outras escolas. E nessa sessão nossos trabalhos se completaram”. João Freire – 3ª série do Ensino Médio.

Confira as fotos do evento em nossa página no Facebook.

VEJA TAMBÉM: